Rua Dr. João Clímaco Pereira, 46 - Itaim  Bibi - São Paulo, SP 04532-070

Horário de atendimento de segunda a sexta das 8:00 as 20:00hs

Sábado das 8:00 as 14:00hs

Tel: (011) 3849-0543

Tel: (011) 99458-9106

Todos os Direitos Reservados - IPO - Instituto Paulista de Otorrinolaringologia

September 19, 2017

Please reload

Posts Recentes

Você está me ouvindo?

September 19, 2017

1/4
Please reload

Posts Em Destaque

Sofre de Dispepsia ? Entenda o que é e como prevenir.

 

Dispepsia

Comumente chamados de "indigestão", são sintomas relacionado ao abdome superior.

 

A síndrome dispéptica, é um problema atual comum e universal, caracterizada por sintomas relacionados ao aparelho digestório alto. embora comum só uma pequena

parte dos pacientes que sofrem com ela procure atenção médica.

 

São vários sintomas, incluindo dor, eructação (arrotos), empachamento (estômago cheio), peso, pirose (queimação), náusea ou saciedade precoce. Freqüentemente, as pessoas confundem os sintomas acima com gastrite, porém na verdade  gastrite é uma inflamação no estômago, que pode ou não causar esses sintomas.

 

Para o diagnóstico de dispepsia, sejam considerados como sintomas apenas a dor epigástrica, sensação subjetiva e desagradável que os pacientes sentem quando está havendo lesão tecidual, restrita a região do epigástrio,:

 

Pirose epigástrica

  • sensação desagradável de queimação, limitada à região do epigástrio. 

 

Plenitude pós- prandial

  • sensação desagradável que a comida permanece prolongadamente no estômago. 

 

Saciedade precoce

  • sensação que o estômago fica cheio logo depois de iniciar a comer, desproporcional

    ao volume ingerido, tanto que não se consegue terminar a refeição.

 

Este assunto caiu de bandeja pra você?

Comer é uma coisa muito gostosa e não é preciso sofrer com uma digestão difícil, náuseas, saciedade precoce, empachamento (estômago cheio.), desconforto ou dor de estômago.

 


Você sabe onde começa a primeira etapa da digestão?
Antes mesmo de colocarmos um alimento na boca, a primeira etapa da digestão já está acontecendo em nossa cabeça. Basta perceber que estamos com fome ou com vontade de comer e pronto: órgãos da digestão já estão começando a trabalhar.

Como isso acontece?
Quando nosso organismo é estimulado pelo cheiro, ou pela vontade de comer ocorre um aumento da salivação e do suco gástrico (rico em substâncias ácidas), responsável pelo trabalho de digerir os alimentos. Antes de engolir, mastigamos os alimentos que misturam-se com a saliva.

E depois que a gente engole o alimento?
O alimento começa a percorrer o esôfago, um tubo muscular localizado no meio do peito, que conduz o alimento até o estômago por intermédio de movimento de contração (peristáltico).

Conhecendo o estômago.
O estômago também tem camadas musculares que realizam contrações para finalizar a trituração dos alimentos e misturá-los ao s sucos digestivos, diminuindo o tamanho das partículas dos alimentos. Aos poucos os alimentos vão chegando até o intes- tino.

Por que às vezes, temos problemas com a digestão dos alimentos?
No tubo digestivo podem ocorrer algumas perturbações, que na maioria dos casos, são apenas no modo de funcionamento. Em outros casos, as perturbações são causadas por lesões, com úlceras, inflamações ou tumores.

Você têm dispepsia funcional?
Os sintomas da dispepsia são náuseas, vômitos, saciedade precoce, empachamento, desconforto ou dor de estômago. Na maioria dos casos, ocorrem pela alteração no movimento das contrações do estômago e do início do intestino (duodeno), ou simplesmente porque algumas pessoas tem estômago mais sensível. 
Quando estes sintomas são decorrentes de lesões são chamados de Dispepsia Orgânica. O exame mais indicado para um diagnóstico seguro é a endoscopia.

Mas existe tratamento para a Dispepsia Funcional! Comece por rever seus hábitos alimentares e compor- tamentais.
Existem alguns alimentos que são naturalmente mais difíceis para a digestão: frituras, alimentos gordurosos, doces concentrados, condimentos fortes. Além disso, devemos perceber aquele alimento que não cai bem (de difícil digestão). E tomar cuidado para não sobrecarregarmos o nosso estômago, seja pelo tipo ou quantidade de alimento ou bebida. 

OBSERVE:

  •  Experimente fazer refeições menores, mais vezes ao dia e mastigando bem. Evite líquidos durante a refeição.

  •  As tensões não são bem digeridas, por seu organismo e isso pode provocar dor de estômago. Por isso, observe o que vai colocar para dentro, o que não vai, como vai mastigar e digerir o que ingeriu.

  • Se mesmo seguindo estas dicas você continuar com os sintomas descritos, procure um médico. Seu médico e somente ele, poderá prescrever a medicação correta.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload